Fala que eu te escuto #01

Tenho recebido muitos emails e scraps no orkut com perguntas relacionadas a fotografia. Infelizmente, não consigo responder todas. Adoraria fazer isso, mas é quase impossível para mim. Por isso, decidi publicar algumas perguntas aqui, pois dessa forma podemos esclarecer dúvidas que afetam mais de uma pessoa ao mesmo tempo.

Há cerca de dois dias recebei o seguinte e-mail:

“Tenho visto seu blog, flickr, até mesmo alguns comentários seus por umas comunidades relacionadas à Fotografia. Estive lendo aqui que você começou a fotografar no começo de 2009 e tudo mais. Eu queria saber como exatamente você entrou nessa área? Antes de procurar investir definitivamente em fotografia você tinha outras aspirações ou sempre desejou fazer disso sua profissão?

Te pergunto isso porque gostaria de saber como as pessoas começam nessa área, sabe? quais são os “desafios do inicio da carreira” e até mesmo pra saber seu ponto de vista em relação ao meu caso. Como agora eu acabei de completar o Ensino Médio, o mais obvio a fazer é tentar entrar em uma universidade, no meu caso no curso de Direito. Entretanto De uns anos pra cá, tenho visto fotografia como algo muito prazeroso, mas só comecei a ler mais mesmo sobre a parte teórica ano passado, e este ano pretendo começar investir nesse meu ‘hobby’ caro, contudo eu ainda não trabalho, vou entrar em um emprego neste mês de abril e uma parte desse dinheiro eu estaria usando pra pagar a mensalidade do curso pré vestibular que pretendo fazer pra que assim (talvez) eu consiga entrar na universidade. A questão  é que eu fico pensando: “tudo bem, mas e depois que eu entrar no curso? Será que eu vou conseguir continuar investindo na fotografia, e o tempo? Trabalhando e estudando, eu ainda conseguiria ter tempo pra me dedicar a fotografia?.” Parece que é como se eu tivesse que sacrificar algo. Mas ainda assim, com a falta de tempo e dinheiro eu pretendo ir investindo aos pouquinhos. :p

Bem..enfim, acho que vou parar de encher seu saco. Se você puder contar um pouco como foi esse seu começo, eu ficaria muito agradecida, e até mesmo receber uns conselhos”

Para mim é impossível ler este e-mail e não lembrar dos medos, inseguraças e alegrias do meu início na fotografia. Leio isso e minha empatia é total. Essas eram minhas perguntas há um ano e tenho certeza que essas questões pertecem a muita gente também. Vou responder por partes então:

Eu queria saber como exatamente você entrou nessa área?

Eu era estudante de Administração de Empresas e trabalhava como estagiário em uma grande empresa na área de tecnologia, mas desde de pequeno sempre fui ligado à criação, desenvolvia coisas diversas em marcenaria, joalheria, vestuário, gastronomia, etc. Como sempre frequentei as livrarias atrás desse tipo de tema eu acabava me esbarrando nos livros de fotografia. Além disso, antes de entrar na faculdade eu trabalhei cerca de 5anos com design de moda(eu criava acessórios em couro, acrílico e prata para desfiles de moda e publicidade).

Na faculdade eu passava mais tempo na biblioteca de arquitetura(era onde ficavam os livros de arte) do que na biblioteca do meu curso. Comecei a “paquerar” os livros de fotografia e de tratamento de imagem. Ao invés de usar o excel para as aulas de estatística e passava meu tempo no photoshop. Tentei diversas vezes pegar câmeras na minha faculdade, mas eles não me emprestavam, pois eu não era um aluno de publicidade ou comunicação. Decidi então comprar minha própria máquina. Como falei, eu era estagiário sem nenhuma ajuda financeira da família e, obviamente, não tinha dinheiro para comprar uma máquina mais avançada. Então, no final de janeiro de 2009, fui na loja para comprar uma máquina de R$400,00, mas saí de lá com R$10 na carteira e com uma máquina que custou o dobro do que eu não podia pagar. Isso foi em um domingo, na quarta-feira seguinte eu fui mandado embora do serviço.

Sem emprego e sem grana não me restava muita coisa a não ser fotografar e tentar colocar em prática aquilo que eu tinha aprendido lendo os livros de fotografia. Comprei uma Sony Cyber-Shot H10 e essa foi uma das minhas primeiras fotos:

Antes de procurar investir definitivamente em fotografia você tinha outras aspirações ou sempre desejou fazer disso sua profissão?

Eu sempre quis trabalhar com design, mas flertei com a carreira diplomática.

Como agora eu acabei de completar o Ensino Médio, o mais obvio a fazer é tentar entrar em uma universidade, no meu caso no curso de Direito.

Sim e não. Eu abandonei a escola no ensino médio e me orgulho muito disso, pois foi uma das melhores coisas que fiz. Saí da escola e fui morar sozinho e trabalhar com moda. Quando resolvi estudar, fiz um curso supletivo e em seguinda entrei na faculdade. No seu caso, Se quer trabalhar com fotografia não é necessário ter curso superior. Salvo casos como fotojornalistas em que as redações pedem isso.

Entrei no curso de administração, pois segui o conselho da minha mãe e de uma namorada da época: Faça um curso que vai te dar dinheiro e depois você faz uma coisa que gosta. Abandonei o curso 3 anos depois…

Depois que eu entrar no curso? Será que eu vou conseguir continuar investindo na fotografia, e o tempo? Trabalhando e estudando, eu ainda conseguiria ter tempo pra me dedicar a fotografia?

Só fazer as contas: Aula 07:30hs às 12:30 + estágio: 13:00 às 19:00 + locomoção + alimentação+ banho + trabalhos e exercícios da faculdade…

Mas não se preocupe, mesmo quando se trabalha com fotografia você não consegue se dedicar a fotografia. O tempo nunca é suficiente.

Mas ainda assim, com a falta de tempo e dinheiro eu pretendo ir investindo aos pouquinhos.

Quando comecei na fotografia eu olhava meu amigos e seus equipamentos de R$1.500,00 e pensava que nunca teria equipamentos assim. Eu era estagiário e nem preciso comentar sobre quanto um estagiário ganha. Investir aos pouquinhos é o segredo!!! Durante esse meu primeiro ano, todo dinheiro que ganhei investi em equipamentos fotográficos e bebida. Não comprei uma roupa sequer, usei all star furado e diversas vezes fiquei o mês inteiro na dureza só para poder comprar um flash. Quero mais algumas coisas em equipamento, mas hoje eu tenho um equipamento mais que perfeito para o que eu preciso. E tudo isso foi conquistado enquanto trabalhava como estagiário.

Você pode fazer mesma coisa, ou não. Tudo o que fiz foi “fácil”, pois eu não dependia financeiramente de ninguém. Era bolsista na faculdade e não recebia nenhuma ajuda finaceira da minha família. Todas as minhas decisões só afetavam a mim.

Não posso lhe dizer se você deve seguir a carreira de fotógrafo, mas se eu tivesse um filho me fazendo as mesmas perguntas que você fez eu lhe diria:

Faça aquilo que te faz feliz!

Se vocês tem alguma dúvida, sugestão, reclamação, dica, etc, podem deixar um recado aqui, no orkut ou pelo e-mail: dofotografo@gmail.com

5 Responses to “Fala que eu te escuto #01”


  1. 1 Mari Milanezi 05/03/2010 às 18:06

    Este depoimento é inspirador.🙂 Andei 2 casas a mais no tabuleiro agora que li isso. Estas são basicamente as minhas dúvidas também.

  2. 2 Layla Kamila 05/03/2010 às 18:24

    Falou por mim tbm.
    Pra vc ter uma noção,eu tbm faço Direito e AMOOOOO Fotografia.

    Oo’

  3. 3 Pollianna Carla 05/03/2010 às 21:25

    Nossa parece muito com a minha historia de como comecei a fotografar …

  4. 4 Ana T 09/04/2010 às 19:01

    Vê se Bresson (olha a intimidade…) ia te criticar com essa foto?? Mó estilão dele! rsrsrs

  5. 5 Lilian Silveira 09/04/2010 às 20:15

    Caramba, Leandro. Vc conseguiu me emocionar. Aliás, tudo que leio ultimamente sobre fotografia ou me emociona ou me arrepia. Cara, saiba que te admiro pra caramba e muito mais agora, depois de conhecer a sua história!!!!!!!!!!! Patabénnnnnnnnsssssssss


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




“Não importa de onde você vem, nem onde você está, o importante é saber onde se quer chegar”

Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 1.397 outros seguidores

  • 1,051,346 Visitas