Archive for the 'Emprego' Category

Como se tornar um fotógrafo de moda

[tweetmeme source=”dofotografo” only_single=false]

Depois do filme Blow Up do Antonioni, o fotógrafo de moda “alcançou” um status que é mantido até hoje. Carros, dinheiro, mulheres, festas e álcool é a imagem muitas vezes associada a esse tipo de fotógrafo. Verdade ou não, o fato é que para ser fotógrafo de moda é necessário muito mais do que conhecimento em fotografia, retoque de imagens, moda, maquiagem, etc.

Aliás, o título desse post, “Como se tornar um fotógrafo de moda”, é muito pretensioso e arrogante. Não se ensina ninguém a se tornar um fotógrafo de moda através de um post e nem detemos a verdade para poder assumir isso.

Assim como não é possível ensinar como desenhar uma coruja em dois passos, eu não posso dizer:

  1. Compre uma câmera.
  2. Seja um fotógrafo de moda

Aliás, eu nem sou fotógrafo de moda.  Sou um fotógrafo iniciante que está trilhando seu caminho para esse lado. Firula, mas é a verdade.

Estou escrevendo esse texto, pois recebi um e-mail bem bacana essa semana que é o seguinte:

“Olá pesquisando na Internet cheguei até você.

Creio que as perguntas sejam as mesmas de sempre mas, tenho que lhe perguntar.

Quero muito fazer Fotografia prestei o vestibular, e agora tenho poucos dias para decidir se faço ou não fotografia

Como está o mercado em relação à fotografia, eu fazendo fotografia existem campos de trabalho para essa profissão agências de modas, revistas etc.

quero muito fazer fotografia publicitaria, moda no meu caso …

Resumindo ..da pra se ganhar dinheiro fazendo FOTOGRAFIA .terei campo de trabalho pra isso ou fazendo serei só mais um amador tentando a sorte como fotografo…

agradeço deis de já aguardo um retorno”

Como falei, não se ensina alguém a ser fotógrafo em 2 ou 10 passos. Entretanto, vou, pela minha própria experiência, tentar dar um norte para quem está tentando entrar nessa área.

Primeiramente eu aconselho a ler meu outro artigo: Fotografia de moda, onde eu explico como o mercado de moda está dividido. Entender essas diferenças é importante para podermos separar mercados e analisar cada um separadamente. O ideal seria buscar números concretos, fazer pesquisas e montar um Plano de Negócios, mas mesmo assim, de forma superficial, dá para se ter uma idéia de mercado e dos campos de trabalho. Imagine a seguinte situação: estúdios que cobram R$700,00 a diária e estão sempre cheios, câmeras que custam R$10.000,00 somente o corpo, objetivas a R$3.500,00 ou R$9.000,00, computadores que não saem por menos de R$5.000,00, entre outras coisas são hoje equipamentos de boa parte dos meus amigos que são fotógrafos de “médio porte”. O que quero dizer com isso é que, se estão conseguindo comprar esse tipo de equipamento é porque estão ganhando dinheiro com fotografia. É uma análise rasa, mas dá para fazermos um panorama de como anda o mercado. Além disso, é só olharmos como toda hora surge um site de comportamento, agência de modelos, revistas de moda, marcas que precisam fazer seus catálogos, entre outras empreendimentos que demandam fotografia de moda.

Depois disso leia o seguinte livro: Fashion Photography – A Complete Guide to the Tools and Techniques of the Trade By Bruce Smith. Com ele é possível ter uma visão geral de todo o processo para se realizar uma fotografia de moda.  A partir desse momento caberá a você analisar qual o caminho a seguir, se fará uma faculdade de fotografia, se optará por ser assistente de um fotógrafo ou se vai fazer workshops com outros fotógrafos.

Basicamente um fotógrafo de moda poderá trabalhar das seguintes maneiras:

  • Fotografando editoriais de moda.
  • Fotografando catálogos de roupas.
  • Fotografando modelos e/ou atores para as agências.
  • Fotografando para bancos de imagens.
  • Fotografando para agências de notícias.
  • Fotografando beleza.
  • Fotografando retratos.
  • Foto para publicidade.
  • Prestando consultoria.
  • Ministrando cursos e workshops.

Antes de começar a fotografar nessas áreas ou prestar serviços, é necessário montar seu portfólio. Como fazer isso na prática.

  1. Busque referências de fotografia de moda. Um site bom é o http://fashiongonerogue.com e o http://thefashionisto.com
  2. Defina a foto que quer fazer. Comece a costruir seu portfólio com fotos “simples”. Exemplo:

    Heidi Mount by Hedi Slimane

  3. Depois da foto ser pensada, analise o que precisa para executá-la: fundo da foto, luz, roupa, maquiador, modelo, direção, etc.
  4. Para conseguir modelo, busque parcerias nas agências de modelos. Esse contato deve ser feito com o booker que é a pessoa que cuida das modelos.
  5. Para conseguir maquiador e cabelereiro, procure no orkut e nas escolas de beleza.
  6. Quem cuida da roupa é o produtor de moda ou stylist. No caso do fotógrafo iniciante pode ser um aluno de moda ou ele mesmo.
  7. Todos esse profissionais precisam de material fotográfico e essa será a moeda de troca. Portanto prepare um material com qualidade.
  8. Produza entre 20 e 25 fotos divididas em beleza, editorial, comercial, etc.
  9. Imprima esse material em um portfolio físico de tamanho médio, cerca de 25cm em um dos lados. Foto impressa sempre é melhor que foto no computador.
  10. Monte seu site e seu cartão de visitas.

Com esse material pronto é hora de “bater porta”. Procure pelos diretores de arte ou de fotografia, são eles que costumam contratar os fotógrafos para as pautas. Para marcas de roupa, quem contrata geralmente é o estilista ou o departamento de marketing. Procure por publicações e marcas pequenas para começar.

Para fotógrafo “nível médio”, geralmente ganha-se:

  • Por pauta: R$300 a R$400,00
  • Cobrir Fashion Weeks: R$2.000,00 a R$5.000,00
  • Book de modelo: R$400,00 a R$600,00
  • Lookbook: R$3.000,00 a R$6.000,00
  • Editorial de moda para revista: R$0,00 a ajuda de custo.

Sobre mim, de junho de 2009 a junho de 2010 eu decidi trabalhar em uma empresa de tecnologia, juntar dinheiro para comprar equipamento fotográfico e estudar fotografia e iluminação. Depois de ter trabalhado como assistente de um fotógrafo de moda eu resolvi que seguiria meu caminho sozinho e que durante um ano só pegaria trabalhos pequenos, daria workshops, palestras e me aprofundaria em tratamento de imagem, história da arte e da fotografia. Pretendo seguir esse ritmo até junho de 2011 antes ir atrás dos grandes jobs.  Todos os trabalhos que fiz até agora foram indicação de outras pessoas e cobrei muito barato por todos eles. Eu prefiro durante um mês fazer 20 pequenos trabalhos de R$300,00 do que cobrar R$1.500,00 por job e só fazer 2 a cada 30 dias. É uma estratégia minha que me atende muito bem nesse momento. Cabe cada um fazer a sua.

Esse texto não contém nenhuma verdade absoluta e mesmo que fosse um tese de mestrado, ainda seria só um guia simples do que é estar no mercado e ser um fotógrafo de moda de sucesso. O que tem acontecido comigo e que vejo na prática é, é que mais do que talento, é necessário ter amigos e saber caminhar por entre as pessoas. A maioria dos trabalhos são conseguidos assim: por indicação.

Para finalizar esse post, eu gostaria de deixar a dica do livro, que para mim, é o mais importante. Que deveria ser cabeceira de todo o fotógrafo. Aliás, eu acho que a gente deveria aprender sobre ele antes de aprendermos sobre iluminação.

Administração de Marketing – Philip Kotler

Administração de Marketing: A Bíblia do Marketing

É isso aí, um dia a gente vira o Helmut Newton !

Se vocês tem alguma dúvida, sugestão, reclamação, dica, etc, podem deixar um recado aqui, no orkut ou pelo e-mail: dofotografo@gmail.com

 

 

O que é ser assistente de fotógrafo

Foto: Ryan Strong (www.ryanstrong.net)

[tweetmeme source=”dofotografo” only_single=false]

Todo, ou quase todo, fotógrafo em início de carreira já desejou ser assistente de um grande fotógrafo, aprender suas técnicas de iluminação, tratamento de imagem e direção de modelos. Há aqueles que querem ser assistentes dos fotógrafos de casamentos, de publicidade, de fotografia sensual, e por aí vai. Cada mercado tem suas especificidades e por isso falarei mais sobre o assistente de estúdio, pois é a área que conheço melhor.

Boa parte dos grandes fotógrafos brasileiros de hoje vieram dos Estúdios da Abril, onde foram assistentes dos renomados fotógrafos da época.  Há 25 anos o acesso a informações era completamente diferente do que é hoje. Estamos falando de uma época onde não existia internet, photoshop e além da quase inexistente fotografia digital no Brasil. Com informações restritas, a melhor maneira de se obter conhecimento era ser assistente de um fotógrafo, de um laboratório, etc. Entretanto vivemos hoje a era da informação(e do excesso dela), onde o conhecimento é compartilhado no mesmo momento em que ele é criado. Blogs, Twitter, Facebook, Live Cams, Workshops, Livros, E-books, DVDs, Podcasts, Youtube, Vimeo…temos centenas e centenas de maneiras de adquirir conhecimento de forma muito barata ou gratuita. Entretanto, saber lidar com a equipe, lidar com modelos, fazer contato com bookers, maquiadores, produtores, editores,cabelereiros, entre outros, é  uma coisa que não se consegue fazer só estudando. Hoje, essa é a maior recompensa em se tornar assistente de um fotógrafo. Fazer contatos é primordial na carreira de qualquer fotógrafo e para o fotógrafo de moda e/ou publicidade eu digo que é a chave do sucesso.

Quais são as atividades de um assistente de fotógrafo

Todas possíveis, mas vou enumerar as principais:

  • Carregar e cuidar do equipamento fotográfico
  • Limpar o estúdio
  • Pintar o fundo fotográfico
  • Segurar equipamentos em externas como rebatedores, tripés, etc.
  • Organizar o escritório do fotógrafo
  • Fazer back-ups de fotos
  • Tratar imagens
  • Montar esquemas de iluminação
  • Fazer fotos de making-of
  • Carregar baterias e outras fontes de energia
  • Realizar reparos elétricos nos equipamentos
  • Buscar modelos ou fazer entregas para o fotógrafo
  • Etc, etc, etc…

Quanto ganha um assistente de fotógrafo

Quando escrevi a frase acima dei uma risada, pois para quem é do meio, sabe que  isso é sinônimo de piada. Tenho um amigo que trabalha para um fotógrafo de publicidade e ele ganha, agora depois de um reajuste, R$800,00 de ajuda de custo. Desse valor ele tira a alimentação, condução e salário.  Muita gente pode falar: Nossa eu seria assistente por isso! Quando se é assistente fixo de um fotógrafo, sua vida é toda dedicada a ele. Entrar no estúdio sem hora para sair é extremamente comum e já até faz parte do dia-a-dia. 12, 15 horas de trabalho pesado sem feriado e final de semana é muito desgastante. Uma coisa é você ser fotógrafo e trabalhar 12 horas, nesse caso você é empregado e ganha, quando ganha, uma miséria de dinheiro. Isso sem contar no fim da sua vida intelectual, sexual e social.

Claro que estou usando uma ótica um pouco mais agressiva. Conheço casos de assistentes que tem seu empregadores como verdadeiros mentores e amam trabalhar para eles.

Há assistentes free-lance que ganham por job de R$50,00 a R$350,00

Como ser assistente de um fotógrafo

Contato. Fotógrafos contratam assistentes que foram indicados por outros assistentes ou fotógrafos. Simples assim. Não há fórmula mágica. Há casos de pessoas que mandam um e-mail ou uma carta(antigamente) e conseguiram seus cargos. Só para ilustrar, fotógrafos recebem dezenas de e-mails de pessoas se candidatando para serem seus assistentes sem remuneração alguma.  É com elas que você vai concorrer caso queira ser assistente de alguém sem indicação ou experiência.

Minha experiência

Eu trabalhei para um famoso fotógrafo de moda e minha experiência não foi boa. Talvez seja por isso que minha visão sobre ser assistente não é tão romântica. Pois bem, comecei da seguinte maneira: um dia fui ajudar uma amiga em umas fotos e fotografei uma amiga dela, essa amiga era amiga de uma editora de uma revista de moda aí, ela viu minhas fotos e me chamou para uns jobs, fiz os jobs e depois ela me indicou para esse estúdio.  Fui trabalhar para esse fotógrafo sem remuneração alguma e já haviam dois assistentes lá. Como eu já conhecia de iluminação e tratamento de imagem, no meu primeiro dia já fui montar a iluminação e trabalhei até cerca de 02:00am. Por ser o “fotógrafo das estrelas” havia um clima muito estressante lá, não se podia falar direito e eu tinha que “viver pisando em ovos”. Em externas o trabalho era bem pesado e longo, como sempre terminávamos de madrugada eu tinha de pegar um táxi e também arcar com isso. Travalho duro e sem remuneração não era problema para mim. Apesar de eu não ter aprendido nada novo lá, gostava pelo fato de estar sempre em contato com os profissionais da moda.  Saí do estúdio, pois uma vez, ao limpar a mesa, a caixa de e-mail estava aberta justamente em uma mensagem onde os assistentes debochavam de mim, junto com o fotógrafo, o fato de eu ter limpado e organizado a biblioteca e o estúdio. Dentre vários eventos, esse foi a gota d’água e decidi seguir o meu caminho por mim mesmo.

Conclusão

Ser assistente é uma excelente maneira de se inserir no mercado, aprender técnicas e artimanhas, mas não é a única. Há outras formas tão, ou mais, eficazes do que essa.

Quero aproveitar e fazer um agradecimento a Amanda Góes, a melhor assistente/amiga do mundo que sempre me ajuda com a maior boa vontade nos meus jobs.

É isso aí, quer ser assistente? Aprenda a fazer café antes!

 


“Não importa de onde você vem, nem onde você está, o importante é saber onde se quer chegar”

Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 1.409 outros seguidores

  • 1,085,269 Visitas