Archive for the 'Job' Category

Manoela Marandino e Revista VIP

_MG_5383

Eu leio a Revista VIP desde a capa da Sabrina Parlatore em 98 ou 99. Ter mais um trabalho publicado nessa revista é mais do que uma honra para mim.

Além do reconhecimento de uma das revistas mais importantes do país, ter total liberdade criativa para realizar um trabalho é a utopia que sempre idealizei e que agora vejo ser possível.

Quando recebi o convite para publicar mais esse ensaio eu já tinha essa locação rascunhada como minha favorita. Há algum tempo eu frequento essa praia “semi-deserta” no Rio de Janeiro. Já havia fotografado em Grumari e inclusive já perdi boa parte dos meus equipamentos lá por causa de uma ressaca do mar.

Ministrei um Workshop de Iluminação e Tratamento de Imagem no Rio de Janeiro e aproveitei para fotografar esse ensaio na segunda-feira seguinte. Como já conhecia o local e onde  o sol nascia, escolhi fotografar a Manoela bem no nascer do sol para aproveitarmos melhor a luz.

Já tive a oportunidade de fotografar a Manoela em Londres e no RJ. Ela é um modelo incrível e com o passar do tempo adquirimos uma relação de confiança ainda maior.

Manoela  - St. Pancras International Station

Manoela – St. Pancras International Station

Manoela - River Thames

Manoela – River Thames

Manoela - Southbank

Manoela – Southbank

O Daniel Ebendinger veio nos buscar às 03h30 da manhã e chegamos em Grumari ainda de noite. Para esse ensaio eu já tinha todas as referências separadas, pois não podia perder muito tempo já que o sol sobe muito depressa e, além da temperatura, a tonalidade varia bastante também. Além disso, eu queria uma luz mais natural e por isso optei somente por rebatedores e flashes para preenchimento. Utilizei um Canon 430EX II + uma Apollo Westcott

Pelo Making of é possível ver os equipamentos e ângulos utilizados:

Essas são as fotos do ensaio todo

_MG_5028

_MG_5585
_MG_5577
_MG_0398
_MG_5682
_MG_0463

_MG_0456

_MG_5383

_MG_8766

_MG_8792

E por fim a publicação na Revista VIP

VIP

VIP 02

Nossa Auaussitente agora  se valendo de modelo!

Nossa Auaussitente agora se valendo de modelo!

Fim de foto

Fim de foto

Modelo: Manoela Marandino (40 Graus)

Foto e Tratamento: Leandro Neves

Assistentes: Érika de Faria e Alessandro Neves

Vídeo: Daniel Ebendinger

Edição: Leandro Neves

Obrigado a todos que fizeram acontecer!  Principalmente Érika de Faria, que além de assistente, é esposa, conselheira, meu norte e a pessoa que suporta toda a barra de ficar 24 horas ao lado de um fotógrafo que vive e respira tudo isso!

Publicação Revista VIP

Paris foi uma nova vida que começou para nós depois de Londres.

Londres foi um lugar um pouco pesado, em relação ao clima chuvoso e frio, as pessoas são bastante fechadas, morávamos num quarto caríssimo e estávamos um pouco cheios de tudo aquilo.

Paris surgiu para iluminar mais nossas vidas, nossas fotos, nossa relação e nossos conhecimentos.

Primeiro, alugamos uma casa incrível, toda rústica com cara de casa de vó, jardim, árvores, janelas enormes, cores e ar puro. A casa ficava nos arredores de Paris, mas dizer perto de paris é bem diferente se dissermos que moramos perto de São Paulo; lá pegávamos o trem e em apenas 15 minutos estávamos no centro de Paris.

Essa casa foi muito especial, pois ali nos unimos muito. Todos os dias fazíamos nossos jantarzinhos com vinho e velas no jardim (um vinho bom custa cerca de RS3,00 em Paris), trabalhávamos ao ar livre, o clima estava perfeito, nem frio – nem calor demais, tínhamos muito espaço, janelas enormes que deixavam entrar uma luz linda todos os dias e estar ali aguçou muito a nossa criatividade.

Em Londres eu já tinha feitos algumas fotos da Érika, mas foi em Paris que isso tudo ficou sério. Começamos a fazer testes de várias coisas que tínhamos vontade de pôr em prática, desde ângulos, poses e até aproveitar todas as luzes das janelas de todos os ambientes da casa e em todos os horários (já que a luz vai mudando). E foi aí que os resultados foram ficando cada mais mais incríveis para nós e estávamos ali viciados em fotografar um ao outro.

Pelo menos duas vezes por semana a gente desmontava a sala da casa, arrastava os móveis para conseguir os cantos mais bonitos da casa, as luzes mais especiais entrando por aquelas janelas. Fazíamos a maquiagem mais simples possível, pouca roupa, dávamos uma olhada em algumas referências como inspiração e  era sempre assim que começava. Mas o que contou realmente para que tudo fluísse foi a nossa intimidade, nossa confiança um no outro e o momento que estávamos vivendo ali e assim a Érika aprendeu a posar para mim e eu aprendi a fotografar ela.

Até que o resultado foi tão maior do que esperávamos e nossa história foi parar na Revista VIP para fechar com chave de ouro toda essa experiência que tivemos.

Foi incrível poder ver nosso trabalho em uma revista que acompanho desde a minha adolescência. Entretanto o mais importante foi aprender que a vida a dois é um exercício de concessões. Inúmeras vezes abrimos mão de hábitos, crenças e desejos em nome de uma relação. Como diria Rousseau: só é possível ao homem ter um certo grau de liberdade se ele abrir mão da mesma visando o bem comum.Quando chega o momento em que acredita que está perdendo sua personalidade, é só olhar por fora para perceber que o fato de estar aberto lhe permitiu receber inúmeras coisas boas e agregar outras qualidades que jamais se alcançaria sozinho.Hoje, mais do que nunca, je ne regrette rien!

Como se tornar um fotógrafo de moda

[tweetmeme source=”dofotografo” only_single=false]

Depois do filme Blow Up do Antonioni, o fotógrafo de moda “alcançou” um status que é mantido até hoje. Carros, dinheiro, mulheres, festas e álcool é a imagem muitas vezes associada a esse tipo de fotógrafo. Verdade ou não, o fato é que para ser fotógrafo de moda é necessário muito mais do que conhecimento em fotografia, retoque de imagens, moda, maquiagem, etc.

Aliás, o título desse post, “Como se tornar um fotógrafo de moda”, é muito pretensioso e arrogante. Não se ensina ninguém a se tornar um fotógrafo de moda através de um post e nem detemos a verdade para poder assumir isso.

Assim como não é possível ensinar como desenhar uma coruja em dois passos, eu não posso dizer:

  1. Compre uma câmera.
  2. Seja um fotógrafo de moda

Aliás, eu nem sou fotógrafo de moda.  Sou um fotógrafo iniciante que está trilhando seu caminho para esse lado. Firula, mas é a verdade.

Estou escrevendo esse texto, pois recebi um e-mail bem bacana essa semana que é o seguinte:

“Olá pesquisando na Internet cheguei até você.

Creio que as perguntas sejam as mesmas de sempre mas, tenho que lhe perguntar.

Quero muito fazer Fotografia prestei o vestibular, e agora tenho poucos dias para decidir se faço ou não fotografia

Como está o mercado em relação à fotografia, eu fazendo fotografia existem campos de trabalho para essa profissão agências de modas, revistas etc.

quero muito fazer fotografia publicitaria, moda no meu caso …

Resumindo ..da pra se ganhar dinheiro fazendo FOTOGRAFIA .terei campo de trabalho pra isso ou fazendo serei só mais um amador tentando a sorte como fotografo…

agradeço deis de já aguardo um retorno”

Como falei, não se ensina alguém a ser fotógrafo em 2 ou 10 passos. Entretanto, vou, pela minha própria experiência, tentar dar um norte para quem está tentando entrar nessa área.

Primeiramente eu aconselho a ler meu outro artigo: Fotografia de moda, onde eu explico como o mercado de moda está dividido. Entender essas diferenças é importante para podermos separar mercados e analisar cada um separadamente. O ideal seria buscar números concretos, fazer pesquisas e montar um Plano de Negócios, mas mesmo assim, de forma superficial, dá para se ter uma idéia de mercado e dos campos de trabalho. Imagine a seguinte situação: estúdios que cobram R$700,00 a diária e estão sempre cheios, câmeras que custam R$10.000,00 somente o corpo, objetivas a R$3.500,00 ou R$9.000,00, computadores que não saem por menos de R$5.000,00, entre outras coisas são hoje equipamentos de boa parte dos meus amigos que são fotógrafos de “médio porte”. O que quero dizer com isso é que, se estão conseguindo comprar esse tipo de equipamento é porque estão ganhando dinheiro com fotografia. É uma análise rasa, mas dá para fazermos um panorama de como anda o mercado. Além disso, é só olharmos como toda hora surge um site de comportamento, agência de modelos, revistas de moda, marcas que precisam fazer seus catálogos, entre outras empreendimentos que demandam fotografia de moda.

Depois disso leia o seguinte livro: Fashion Photography – A Complete Guide to the Tools and Techniques of the Trade By Bruce Smith. Com ele é possível ter uma visão geral de todo o processo para se realizar uma fotografia de moda.  A partir desse momento caberá a você analisar qual o caminho a seguir, se fará uma faculdade de fotografia, se optará por ser assistente de um fotógrafo ou se vai fazer workshops com outros fotógrafos.

Basicamente um fotógrafo de moda poderá trabalhar das seguintes maneiras:

  • Fotografando editoriais de moda.
  • Fotografando catálogos de roupas.
  • Fotografando modelos e/ou atores para as agências.
  • Fotografando para bancos de imagens.
  • Fotografando para agências de notícias.
  • Fotografando beleza.
  • Fotografando retratos.
  • Foto para publicidade.
  • Prestando consultoria.
  • Ministrando cursos e workshops.

Antes de começar a fotografar nessas áreas ou prestar serviços, é necessário montar seu portfólio. Como fazer isso na prática.

  1. Busque referências de fotografia de moda. Um site bom é o http://fashiongonerogue.com e o http://thefashionisto.com
  2. Defina a foto que quer fazer. Comece a costruir seu portfólio com fotos “simples”. Exemplo:

    Heidi Mount by Hedi Slimane

  3. Depois da foto ser pensada, analise o que precisa para executá-la: fundo da foto, luz, roupa, maquiador, modelo, direção, etc.
  4. Para conseguir modelo, busque parcerias nas agências de modelos. Esse contato deve ser feito com o booker que é a pessoa que cuida das modelos.
  5. Para conseguir maquiador e cabelereiro, procure no orkut e nas escolas de beleza.
  6. Quem cuida da roupa é o produtor de moda ou stylist. No caso do fotógrafo iniciante pode ser um aluno de moda ou ele mesmo.
  7. Todos esse profissionais precisam de material fotográfico e essa será a moeda de troca. Portanto prepare um material com qualidade.
  8. Produza entre 20 e 25 fotos divididas em beleza, editorial, comercial, etc.
  9. Imprima esse material em um portfolio físico de tamanho médio, cerca de 25cm em um dos lados. Foto impressa sempre é melhor que foto no computador.
  10. Monte seu site e seu cartão de visitas.

Com esse material pronto é hora de “bater porta”. Procure pelos diretores de arte ou de fotografia, são eles que costumam contratar os fotógrafos para as pautas. Para marcas de roupa, quem contrata geralmente é o estilista ou o departamento de marketing. Procure por publicações e marcas pequenas para começar.

Para fotógrafo “nível médio”, geralmente ganha-se:

  • Por pauta: R$300 a R$400,00
  • Cobrir Fashion Weeks: R$2.000,00 a R$5.000,00
  • Book de modelo: R$400,00 a R$600,00
  • Lookbook: R$3.000,00 a R$6.000,00
  • Editorial de moda para revista: R$0,00 a ajuda de custo.

Sobre mim, de junho de 2009 a junho de 2010 eu decidi trabalhar em uma empresa de tecnologia, juntar dinheiro para comprar equipamento fotográfico e estudar fotografia e iluminação. Depois de ter trabalhado como assistente de um fotógrafo de moda eu resolvi que seguiria meu caminho sozinho e que durante um ano só pegaria trabalhos pequenos, daria workshops, palestras e me aprofundaria em tratamento de imagem, história da arte e da fotografia. Pretendo seguir esse ritmo até junho de 2011 antes ir atrás dos grandes jobs.  Todos os trabalhos que fiz até agora foram indicação de outras pessoas e cobrei muito barato por todos eles. Eu prefiro durante um mês fazer 20 pequenos trabalhos de R$300,00 do que cobrar R$1.500,00 por job e só fazer 2 a cada 30 dias. É uma estratégia minha que me atende muito bem nesse momento. Cabe cada um fazer a sua.

Esse texto não contém nenhuma verdade absoluta e mesmo que fosse um tese de mestrado, ainda seria só um guia simples do que é estar no mercado e ser um fotógrafo de moda de sucesso. O que tem acontecido comigo e que vejo na prática é, é que mais do que talento, é necessário ter amigos e saber caminhar por entre as pessoas. A maioria dos trabalhos são conseguidos assim: por indicação.

Para finalizar esse post, eu gostaria de deixar a dica do livro, que para mim, é o mais importante. Que deveria ser cabeceira de todo o fotógrafo. Aliás, eu acho que a gente deveria aprender sobre ele antes de aprendermos sobre iluminação.

Administração de Marketing – Philip Kotler

Administração de Marketing: A Bíblia do Marketing

É isso aí, um dia a gente vira o Helmut Newton !

Se vocês tem alguma dúvida, sugestão, reclamação, dica, etc, podem deixar um recado aqui, no orkut ou pelo e-mail: dofotografo@gmail.com

 

 

Fala que eu te escuto #06

[tweetmeme source=”dofotografo” only_single=false]

Organizando minhas coisas achei um e-mail perdido. Milhões de desculpas por só lhe responder agora:

Olá Leandro, tenho acompanhado seu blog diariamente e tenho gostado muito. Vou fazer um curso básico de fotografia agora no final do mês e pretendo investir MESMO na área. Me formei agora em Serviço Social, to trabalhando já, e por incrível q pareça já consegui juntar R$2.500 pra comprar uma máquina profissional, ainda estou pesquisando qual comprar… Mas enfim, gostaria de tirar umas das várias dúvidas que tenho com você:

1- Como me lançar no mercado? O que devo fazer pra conseguir trabalhar com moda, assim como você? Aquele post seu do “objetivo”… me identifiquei bastante c suas fotos e no momento, quero ser você. ahahah
2- Quais são os valores que um fotografo cobra para um trabalho? Eu sei que depende do trabalho, mas eu queria ter uma noção, pq n tenho nada… Por exemplo, para casamentos ou para books fotográficos, o trabalho q vc fez para a Lofficiel por exemplo… Como fez para conseguir, qual o preço cobrado, o que você deve fazer? Só “dirigir” as modelos ou vc tb participa da produção delas, como escolher maquiagem e roupa?

Desculpa tanta ansiedade é que tenho admirado muito o seu trabalho e queria tirar umas dúvidas c vc rsrs
Obrigado, Karen

Karen,

Não sei se você já comprou a máquina, mas com essa grana dá para comprar um equipamento muito bom com uns acessórios legais. Sobre sua primeira pergunta, moda, assim como diversas áreas, é muito mais importante contatos do que talento. Não que talento seja dispensável, mas  é um meio onde a indicação, o “amigo do amigo”, o “fulano que fez para cicrano”, conta muito mais que um portfolio bonito.

1- Como me lançar no mercado? O que devo fazer pra conseguir trabalhar com moda, assim como você? Aquele post seu do “objetivo”… me identifiquei bastante c suas fotos e no momento, quero ser você. ahahah

Há diversas formas de entrar nesse meio e uma muito comum é o networking nas festas, vernissages, aberturas, coquetéis, etc. Imagine a situação: o rapaz está dançando(bêbado) e se aproxima uma moça(mais bêbada ainda) para dançar com ele  que começa o seguinte diálogo:

– O que você faz?

– Sou fotógrafo de moda e publicidade.

-Jura, eu trabalho na revista xpto toma aqui meu cartão. Me liga para fazermos umas fotos.

-Ok, eu ligo.

Dois dias depois quando a bebedeira e a ressaca já tiverem passado e ela não for mais tão sociável quanto na noite da festa, você manda seu portfolio por e-mail e comenta da conversa que tiveram. Pronto, agora você tem um contato e ela tem algumas imagens para poder convencer o chefe dela a contratar você para aquela pauta ou editorial. Vai por mim, isso acontece o tempo inteiro.

Outra forma é montar um portfolio com suas amigas que são modelos e mandar para as agências vendendo seu serviço como fotógrafa. Você pode também fazer uma troca, modelos sempre estão precisando de material. Elas posam para você fotografar e depois esperam um CD com as fotos tratadas em troca por esse trabalho.

Uma forma que é comum, mas um pouco difícil de se obter, é sendo assistente de um fotógrafo de moda. Eu trabalhei para um fotógrafo x, pois fui indicado por uma pessoa da L’Officel. Fiquei pouco tempo lá, não gostei e optei por seguir meu caminho sozinho, mas sempre é bom trabalhar para alguém, pois, além de aprender todos os macetes da profissão, você conhece produtores, maquiadores, cabelereiros, modelos, etc.

2- Quais são os valores que um fotografo cobra para um trabalho? Eu sei que depende do trabalho, mas eu queria ter uma noção, pq n tenho nada… Por exemplo, para casamentos ou para books fotográficos, o trabalho q vc fez para a Lofficiel por exemplo… Como fez para conseguir, qual o preço cobrado, o que você deve fazer? Só “dirigir” as modelos ou vc tb participa da produção delas, como escolher maquiagem e roupa?

Para valores de book é só você dar uma olhada nesse posts: Quanto cobrar: Book simples e Quanto cobrar: Book intermediário.  Para valores de pauta, editoriais e afins, normalmente é a revista ou meio de comunicação que já lhe oferece um valor x. Por exemplo, se você for cobrir uma semana de moda é capaz de te oferecerem uns R$5.000,00 por aquele trabalho, talvez te mandem um motorista, talvez não. Isso para fotógrafo iniciante, pois fotógrafo top cobra R$30.000,00 por alguns jobs.

Quem escolhe a maquiagem, roupa e acessórios é a produtora de moda. O trabalho do fotógrafo fica mais em montar iluminação, composição, direção da modelo, fotografar, etc. Há trabalhos que é você quem passa para a produtora, maquiador e cabelereiro as referências do que você quer, mas são eles que executam essa parte.

Esse mercado de fotografia de moda é muito, mas muito amplo e o que eu escrevi hoje é só para dar um idéias de como as coisas são.

Não desanime se as coisas não derem certo no começo. Recebi isso outro dia.

É isso aí, espero que tenham gostado.

Se vocês tem alguma dúvida, sugestão, reclamação, dica, etc, podem deixar um recado aqui, no orkut ou pelo e-mail: dofotografo@gmail.com

Quanto cobrar: Book intermediário

[tweetmeme source=”dofotografo” only_single=false]

Recebi alguns e-mails comentando meu último post sobre quanto cobrar por um book simples. Alguns falavam que eu não devia cobrar tão barato, pois meu trabalho valia muito mais que isso, outras pessoas comentaram que cobravam muito mais barato que aquilo e que precisavam rever seus preços, mas o e-mail que mais me surpreendeu foi o de uma pessoa que achou um absurdo eu ter falado naqueles valores tão baixos e me disse que  eu estava dando um tiro no pé e prejudicando a classe fotográfica.

Gostaria de esclarecer algumas coisas:

Eu não disse que cobrava R$300,00 por um book. Aliás, confesso que se eu tivesse hoje um book por R$300,00 ia ficar muito feliz!!! Com R$300,00 eu consigo almoçar durante um mês ou pago meu aluguel. O impacto de um book para mim é muito grande. Morar fora da casa dos pais, sem nenhum tipo de apoio financeiro ou operacional, faz com que qualquer quantia de dinheiro seja muito, mas muito bem vinda. De qualquer forma, cobro mais que isso.

Sobre a classe fotográfica, o que seria isso? Alguém conhece ela? Quem é representando por ela? Quando uma foto sua é usada indevidamente há uma classe que te apóia e te suporta em um processo jurídico? Quando você começou a fotografar essa classe fotográfica te ajudou de alguma forma? Existem algumas associações que possuem uma tabela de valores, descontos para seguros de equipamentos e mais algumas firulas. Fora isso, qual é o impacto delas na minha vida? Tirando algumas boas almas que compartilham conhecimento como o Geraldo Garcia ou iniciativas bem intencionada como a da Fototech, eu não espero nada dessa classe fotográfica.  Essa classe fotográfica não paga meu aluguel no final do mês, não paga minhas contas, não me ajuda quando um equipamento quebra, não me suporta através de empréstimos e além de tudo isso, não quer pagar seus assistentes, pois eles estão “aprendendo um ofício”. Aliás, em breve vou escrever sobre os fotógrafos que não querem pagar seus assistentes ou pagam quantias ridículas que só servem para a subsistência do infeliz que se prostitui por amor à fotografia.  Se essa classe fotográfica realmente existe, eu desejo que ela vá à merda!

Dentre os e-mails que recebi, teve um bem bacana e que dá um rumo para esse post:

Uma amiga, me pediu pra fazer um book dela, ela está grávida! Vi o que vc escreveu no seu blog, mas fico pensando se vale a pena cobrar R$300,00 sendo que gastaria uns R$100,00 em impressão de qualidade + um fundo infinito(pois não tenho estúdio)+ o tempo de editar as fotos+ iluminação! Fora que tem a parte de maquiagem e cabelo!
Queria saber se existem outras coisas mais alternativas. Lugares que se podem fazer esse tipo de foto, uma outra alternativa de impressão, pois ela não quer nada em cd. Essas coisas assim.
Fico agradecida!
Abraço

Não, não vale a pena cobrar R$300,00. Contraditório eu falar isso, mas a verdade é essa e o buraco é muito mais embaixo. Quando falei nesse valor,  falei para aquelas pessoas que não possuem um estúdio, maquiador, não vão mandar ampliar, moram com os pais, estão na pindaíba, etc, etc, etc…

Vamos fazer algumas contas para um book mais elaborado.

  • Aluguel de estúdio: R$350,00 (valor para amigo)
  • Maquiador/Cabelereiro: R$150,00
  • Impressão: R$100,00
  • Coffe-break: R$80,00
  • Assistente: R$50,00(o mínimo)
  • Locomoção: R$80,00 (valor para um táxi ida/volta)

Com esses valores chegamos em custo de R$810,00. Isso sem contar depreciação de equipamento, gastos extras, etc. Some esse valor ao quanto você quer ganhar como fotógrafa nesse job e quanto você quer ganhar com o tratamento.

Há outras alternativas para fazer fotos de book (mais baratas) como fazer seu próprio esquema de iluminação e/ou fundo infinito(esse vai ser o próximo post do blog) ou fazer fotos externamente e usar luz natural com rebatedores caseiros. Fazer fotos em parques, casas de amigos e lugares abandonados ou históricos sempre dão boas fotos. Uma outra opção é se juntar com outros amigos fotógrafos para compartilhar equipamento, locações, etc. Sobre a impressão não tem como fugir, se quer qualidade tem que fazer no lugar certo com os profissionais certos e isso tem um custo.

Esse valores que eu passo são mais para dar um rumo para os fotógrafos que estão começando, um quebra-galho. Formar preço é muito mais do que isso e envolve diversos fatores.

É isso aí, um dia a gente deixa de cobrar R$300,00 !!!

Se vocês tem alguma dúvida, sugestão, reclamação, dica, etc, podem deixar um recado aqui, no orkut ou pelo e-mail: dofotografo@gmail.com

Quem quiser dar um retweet é só clicar na caixinha verde no canto superior direito.

Quanto cobrar: Book simples

Às vezes eu demoro para escrever, fico tentando escrever um post super bacana, cheio de firulas coisa e tal,  mas nunca sai nada. Há algum tempo que quero escrever sobre como cobrar por certos serviços fotográficos. Queria montar umas tabelas de composição de valor, depreciação de equipamento, bla bla bla…

Enrolo tanto e acabo escrevendo nada. Por isso vou aplicar aqui no blog o que eu tenho buscado na minha vida: simplicidade e objetividade. Até pq, o Fotógrafo em Início de Carreira precisa de soluções simples, mas efetivas, que não compliquem ainda mais esse início já tão difícil.

Outro dia me perguntaram o seguinte:

Olá, Leandro, tenho que te dar parabéns pelo blog, muito legal essa ideia de ajudar as pessoas com tudo aquilo que sabe. Enfim, tenho minhas duvidas, em relação a quanto cobrar para um book de por exemplo 100 fotos, me ajuda?
obrigada, bjs

Vou falar de valores praticados em São Paulo por Fotógrafos em Início de Carreira. Fiz uma pesquisa no final do ano passado e cheguei nos seguintes números e serviços entregues para um book simples.

  • Os books custam em média R$500,00 – R$600,00
  • São entregues em média 100 fotos(sendo 10 tratadas no photoshop)
  • São entregues em média 10 ampliações 24×30
  • Em média são feitas 3 trocas de roupa
  • Cabelo e maquiagem estão inclusos
  • As fotos são feitas em estúdio

Se você não possui estúdio, maquiador, não vai mandar ampliar, mora com os pais, tá na pindaíba, etc, etc, etc…

Cobra uns $250,00 – R$300,00 que tá valendo!!!

É isso aí, um dia a gente cobra R$3.000,00 !!!

Se vocês tem alguma dúvida, sugestão, reclamação, dica, etc, podem deixar um recado aqui, no orkut ou pelo e-mail: dofotografo@gmail.com

Campanha Agre

Nesta semana saiu uma foto minha na nova campanha da Agre. Para quem não conhece, A Agre é o resultado da fusão entre a Agra, Klabin Segal e Abyara Incorporadora e já chega ao mercado como uma das maiores empresas do setor imobiliário.

A foto foi feita ano passado durante o aniversário da minha namorada. Somente coloquei a máquina na mesa de centro e configurei o temporizador. A produtora fotográfica, que aliás é uma pessoa incrível, viu minhas fotos no orkut e entrou em contato comigo.

Essa é a campanha que digitalizei da Revista Veja dessa semana:

A foto:

Fiquei bem feliz com o resultado.

É isso aí! Se vocês tem alguma dúvida, sugestão, reclamação, dica, etc, podem deixar um recado aqui, no orkut ou pelo e-mail: dofotografo@gmail.com


“Não importa de onde você vem, nem onde você está, o importante é saber onde se quer chegar”

Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 1.409 outros seguidores

  • 1,085,269 Visitas