Archive for the 'Me Myself and I' Category

Formação na carreira fotográfica e o perigo da ancoragem

1---img050

Leia também:

NÃO, Você NÃO vai virar fotógrafa em um dia!(e a polêmica da Revista Viva Mais)

Mês que vem fará 5 anos que comprei minha primeira câmera digital, uma compacta Sony H10, e comecei a dar os primeiros cliques. Seja pelo aniversário da data, seja pelo final de ano, eu começo a repensar todo o processo de aprendizado fotográfico até aqui. Começo a pensar em todos os acertos e principalmente nos erros(que não foram poucos).

Em 2009, abandonei a bolsa de 100% do Prouni no Mackenzie e um emprego em um multinacional de tecnologia para poder me dedicar à carreira de fotógrafo.

  • De janeiro de 2009 até junho de 2010 eu só estudei e me preparei para pegar os trabalhos pequenos.
  • De junho de 2010 até julho de 2011 eu comecei a pegar os trabalhos pequenos enquanto ia me preparando para pegar os médios.
  • De julho de 2011 até julho de 2012 eu comecei a pegar os trabalhos médios enquanto me preparava para os grandes.

Entretanto, em janeiro de 2012 vendi todos os meus equipamentos e móveis, saí do meu apartamento, doei minhas roupas, comprei um mochilão e me mudei para a Europa para ter mais experiência de vida e profissional para que eu pudesse estar preparado para os grandes trabalhos.

Foram centenas de dias de dedicação full time e durante esse tempo você começa a se cobrar: Por quê não conquistei isso?, por quê não conquistei aquilo?, por quê não fotografo para a revista x?, por quê não ganho dinheiro como o fotógrafo y?, por quê não pego trabalhos como o fotógrafo z?

O que me ajudou(e tem ajudado) foi ter entendido que é necessário lidar com dois elementos: Formação e Ancoragem.

Formação

Imagine que você cansou de ser fotógrafo e quer se tornar advogado. Qual seria o processo para você se tornar esse profissional?

  • 1 ano de cursinho
  • 5 anos de faculdade
  • 1 ano de cursinho para a OAB

De forma geral, seriam necessários 7 anos de estudos para que você pudesse ser iniciante na carreira. Se fosse medicina o processo seria bem mais demorado.
O que aprendi e tenho aprendido é que não é justo nos cobrarmos tanto sucesso se estamos em um processo que é, em média, igual ao de qualquer profissional. Claro que há exceções e que não dá para compararmos laranjas com maçãs, mas  é importante ter em mente que não podemos acelerar o sucesso sem  a quantidade  necessária de estudo e prática.

E qual quantidade é essa? De acordo com K. Anders Ericsson, uma pessoa para chegar ao nível de expert é necessário que tenha praticado pelo menos 10 mil horas10 mil horas de treino são equivalentes a três anos e meio de estudo intensivo, oito horas por dia, sete dias por semana. 

Depois de entender esse processo, parei de me cobrar tanto e estou mais tranquilo no caminho das minhas 10 mil horas.

2---img051

Ancoragem

Daniel Kahneman define efeito de ancoragem como sendo a situação em que as pessoas consideram um valor particular para uma quantidade desconhecida antes de estimar essa quantidade, de uma outra maneira podemos dizer também que é a dificuldade que temos de não nos deixarmos influenciar pela primeira impressão.

Basicamente é o seguinte: Um vendedor de móveis lhe mostra primeiramente os produtos mais caros, pois essa vai ser sua ancoragem. Quando você ver os móveis de menor valor vai achar eles baratos, pois a sua percepção inicial é de um produto com valor bem superior. Outro exemplo é de marcas de grife que vendem bolsas de couro a R$20.000,00, mas também possuem uma linha mais simples com valores entre R$1.500,00 a R$3.000,00. Quando a ancoragem é feita em cima de 20 mil, 3 mil reais não parece tão caro assim.

O que tudo isso tem a ver com fotografia?

O quadrinho abaixo vai explicar isso muito bem:

jantarromantico

Dentro das redes sociais está sendo criada uma realidade que não existe. No Facebook, nos blogs e no twitter todo fotógrafo tem sucesso, trabalha todos os dias, ganha muito dinheiro e é famoso. Quando o fotógrafo iniciante se depara com isso acaba entrando em depressão, pois sua vida não corresponde aquilo. Na verdade a vida de quase ninguém corresponde aquilo. O problema é quando começamos acreditar que aquela é a âncora e que nossa vida deveria ser assim. O que mais me surpreende é que conheço pelo menos 70% dessa galera se sei que ninguém vive dessa forma ou você acha que eu passo todos os dias da semana bebendo vinho em um parque francês do século XIX.

616843_3890778822642_703633930_o

Por outro lado, quando um grupo de pessoas, baseado na nossa “imagem de rede social”,  acredita que somos melhores do que realmente somos, corremos o risco de nos enganarmos por aquilo que nós mesmos criamos. Involuntariamente ou não.

Acredito que ser bom é quando seu cliente entende o seu trabalho como algo de valor e o recomenda para outros clientes. Se likes não são convertidos em vendas eles não servem de praticamente nada.

Não somos tão ruins quanto, às vezes, achamos que somos e também não somos tão bons quanto as pessoas acham que somos!

Anúncios

Revista VIP Dezembro de 2013

IMG_0739

Saiu foto minha, com a modelo Suelen França, na Revista Vip desse mês para a “Seção Namorada do Leitor”.

Suelen França

Fotografei a Suelen com uma Beauty Dish a 90º e Flash Jinbei 400Ws em meia carga. A trilha sonora é do Wild Club – Thunder Clatter.

CD Luiza Caspary

IMG_0765

Recentemente tive o privilégio de fotografar a capa e o material de divulgação do CD de estréia da talentosa Luiza Caspary.

A Luiza é uma artista que nasceu baiana, cresceu gaúcha e hoje vive em São Paulo. Embora muito jovem (24 anos), já coleciona 16 anos de carreira. Sua voz é conhecida por cantar trilhas de campanhas publicitárias para grandes marcas. Algumas de suas músicas fizeram parte da trilha sonora de filmes e séries de TV. Além disso, ela tem realizado shows com AUDIODESCRIÇÃO – recurso de acessibilidade para pessoas com deficiência visual, LIBRAS (língua brasileira de sinais) para pessoas com deficiência auditiva, além da preocupação com o acesso para cadeirantes.

O Caminho Certo, seu disco de estréia,  está à venda em sites como ITunes, e também disponível em streaming para audição no SoundCloud e outros.

Quando a Luiza me procurou ela já tinha definido que a foto de capa seria um close e dentro disso comecei a separar referências de cor e a rascunhar as fotos. Decidi em ter 3 opções de fotos com locações e maquiagens diferentes.

O Gabriel Von Brixen fez o Making of do dia:

Para a primeira sessão do dia, optei por utilizar uma softbox de 40 X 40 cm, pois queria o rosto mais marcado e Flash YN560 II com carga em 1/4 para uma reciclagem mais rápida e para não “matar” a luz dos raios atrás dela que formavam “caminhos” junto com a vegetação.

Making of

Diagrama de Luz

Capa do CD

Capa do CD

Contra Capa

Contra Capa

Capa Finalizada

Capa Finalizada

Como uma segunda opção fotografamos em uma outra locação:

Segunda opção de capa

Segunda opção de capa

Segunda opção de contra capa

Segunda opção de contra capa

E depois fotografamos o material de divulgação dentro do home estúdio com um fundo verde em lona e uma beauty dish:

Além da amizade incrível que se cria com esse tipo de trabalho é muito gratificante ver sua foto sendo usada de uma forma tão bacana. Como tinha escrito, a Luiza é pioneira e tem um preocupação enorme com a acessibilidade e fez até audiodescrição do flyer do seu show no Centro Cultural São Paulo.

Flyer

O flyer é ilustrado por uma foto colorida e em close do meu rosto. Estou à direita da imagem e encaro a câmera. Minhas mãos estão unidas em concha e cobrem parcialmente meu nariz e minha boca. Tenho as unhas pintadas de azul e estou de batom pink. 
Do meu lado esquerdo, o cabelo é curtíssimo e loiro escuro. Do lado direito, uma franja platinada chega mais ou menos na altura do meu queixo. Uso sombra e blush cor de tijolo. Esfumaçada, a maquiagem realça meus olhos amendoados e as maçãs do meu rosto. Meus cílios são longos e as sobrancelhas, desenhadas. Uso um brinco de bolinha prata na orelha esquerda e visto blusa multicolorida de crochê.
O fundo em tons de cinza está desfocado.
O texto está em letras brancas e um círculo azul, parecido com a cor do meu esmalte, destaca a data. Uma faixa no mesmo tom atravessa toda a parte de baixo do flyer e ressalta as demais informações sobre o show e as logomarcas dos realizadores e apoiadores.
Fotos e Tratamento: Leandro Neves
Assistente de Foto: Érika de Faria
Maquiagem: Juliana Coelho
Cabelo: Mauro Morad
Making of: Gabriel von Brixen

Almanaque Saraiva

Almanaque SaraivaSaiu entrevista minha e da minha esposa Érika de Faria no Almanaque Saraiva de Abril. Disponível em qualquer Livraria Saraiva ou no iPad.

Photoshop Conference 2013

Photoshop_Conference

Agora é oficial, dia 06 de maio serei um dos palestrantes no maior curso de Photoshop da América Latina o Photoshop Conference.

Foi com a maior felicidade do mundo que recebi o convite para ser um dos palestrantes, pois em duas semanas pretendia comprar meu ingresso para ir como ouvinte.

O Photoshop Conference é considerado pela Adobe Systems como o maior curso de Photoshop da América Latina. Mas é muito mais que um curso de Photoshop! Devido à sua importância e visibilidade, já serviu de trampolim para diversos profissionais, abrindo portas e criando novos relacionamentos. E a oportunidade de participar de atividades que visam o aprimoramento profissional é um dos grandes diferenciais do Photoshop Conference.

Nesta 10ª edição do Photoshop Conference, marcada para os dias 6, 7 e 8 de maio de 2013 em São Paulo, o evento destacará os recursos do Photoshop CS6, que trouxe muitos recursos poderosos, além de apresentar um keynote que vai surpreender a todos. Isso sem contar os cases de sucesso, estúdios ao vivo, debates sobre o mercado de profissionais de Photoshop e posicionamento no mercado, exposição e venda de produtos voltados para profissionais criativos.

O tema da minha palestra é Photoshop como Estratégia de Negócios

Na palestra vou falar e mostrar em tempo real como o Photoshop pode ajudar a reduzir custos e erros de produção fotográfica. Vou mostrar em tutoriais como recortar um cabelo mais rápido, limpar um fundo, replicar uma cor, automatizar processos, dentre outras dicas. O objetivo é mostrar como o fotógrafo pode se tonar mais competitivo com o uso do Photoshop.

Nos vemos lá!

Leandro Neves

NÃO, Você NÃO vai virar fotógrafa em um dia!(e a polêmica da Revista Viva Mais)

Viva 00

Eu raramente entro em polêmica do meio fotográfico. Há muito tempo não esquento a cabeça e nem participo de discussões sejam técnicas ou não. Entretanto meu nome está, de alguma forma, atrelado a essa reportagem infeliz!

Costumo responder de 3 a 4 entrevistas por mês. Seja para blogs, revistas, trabalhos acadêmicos, redes de tv ou sites fotográficos e dessa vez com a Revista Viva Mais não foi diferente.

Qual é a pôlemica?

Precisei de 3 anos de dedicação em tempo integral para me chamar de fotógrafo!

Vire fotógrafa em 1 dia?????

A chamada na capa é clara: VIRE FOTÓGRAFA EM 1 DIA e ganhe até R$ 4 mil por mês.

É óbvio que a comunidade fotográfica iria ficar indignada com isso. Quem se dedica à carreira sabe a luta que é, o investimento financeiro, as longas horas de estudo e trabalho que são necessários para se tornar um fotógrafo. Aparecer uma revista informando que é possível fazer isso em um dia é desrespeitar o trabalho e arruinar com uma parte do mercado, pois essas leitoras acreditarão que não devem pagar o valor devido de um fotógrafo, pois ela mesma pode iniciar sua carreira em um dia.

O motivo de eu estar escrevendo esse post é pelo fato do meu nome estar na matéria. Concedi a entrevista ao jornalista e agora eu vejo aquela brincadeira do “telefone-sem-fio” se tornar uma realidade de forma alguma engraçada.

Viva 02

De acordo com a matéria:

…já no início da carreira, dá para ganhar R$4 mil por mês. “Com seis meses de atuação você faz, em média, dois trabalhos por semana cobrando R$500 cada um”, diz Leandro Neves, fotógrafo de São Paulo.

A matéria, pelo jogo de palavras e construção do texto, leva a leitora a crer que a carreira é fácil e que os lucros são certos.

Qual foi o meu e-mail:

Screen shot 2013-03-07 at 5.48.13 PM

Aqui é a entrevista completa(com os erros de formatação do email):

Olá Fernando,

Seguem as respostas:

-Como você avalia o mercado para fotógrafos? Há lugar para nosprofissionais?

R: Apesar da enorme concorrência e dos novos entrantes, eu vejocom muito otimismo o cenário fotográfico atual. A sociedade brasileira como umtodo está consumindo cada vez mais e isso acaba gerando mais e mais trabalhopara fotógrafos, videomakers e retouchers. O fato das revistas impressasnão serem mais tão fortes como antes não significa algo ruim para osfotógrafos, muito pelo contrário! Hoje nós temos diversos tipos de plataformase podemos produzir conteúdo aqui no Brasil ou em alguma revista online deBerlim. A única reclamação que tenho a fazer é da ganância (oudificuldade) do empresário/empreendedor/administrador brasileiro que, apesar daeconomia na sua melhor fase, está cada vez mais cortando custos e tentandobaixar os preços de seus fornecedores. Hoje, sem dúvida meu maior desafio éadequar meu estilo de foto às necessidades de negócio e orçamento do meucliente. Dessa forma, estou sempre tentando eliminar custos, automatizarprocessos e organizar fluxos de trabalhos que me permitam ser competitivo empreço e gestão sem perder a qualidade do trabalho.

 

 

– Como é o começo da profissão? A pessoa começa como assistentede um fotógrafo mais experiente?

R: O fotógrafo antes de qualquer coisa deve ser um empreendedor.Ela pode começar sendo assistente de um, mas essa não é uma forma tãodisponível assim. Fotógrafos raramente anunciam que estão precisando deassistentes, pois esse é um cargo que exige muita confiança e geralmente sócontratamos quem já conhecemos ou pessoas que foram indicadas por outrosfotógrafos e que já possuem experiência com fotografia.
Eu comecei sozinho, depois virei assistente, já tive alguns assistentes e hojeminha exposa faz assistência para mim. Por isso que digo que o fotógrafo deveser um empreendedor, pois é ele que deve definir seu produto, prospectar eatender seu cliente ao invés de ficar só procurando uma vaga de assistente parapoder começar.

 

– O segredo é se especializar em um segmentoda fotografia?(moda, casamentos, fotografia de produtos).

R: Sem dúvida o segredo é a especialização. Antigamente osfotógrafos trabalhavam em diversas áreas da fotografia, mas com aespecialização cada vez mais crescente hoje vemos fotógrafos de casamento quesó fotografam um determinado tipo de cerimônia como mini weddings, ou vintageweddings, etc.

 

– Qual desses segmentos costuma trazer maior retorno?

R: Hoje eu vejo que a fotografia publicitária e a fotografia decasamento são as que trazem maior retorno.

 

– Quais podem ser as áreas de atuação dofotógrafo?

Um fotógrafo pode trabalhar com fotografia de moda(campanhas,backstages, lookbooks, composites, beleza), fotografia publictária, fotografiade produto, de pets, social(casamento, grávidas, 15 anos, newborn,fotojornalismo, arquitetura, fotografia de retratos, de esportes, de natureza,etc.

 

– O investimento inicial para começar afotografar é alto? Emquanto tempo você estima que a pessoa pode cobrir estes custos com o trabalhode fotógrafo?

R: Depende muito da área escolhida. Por exemplo, o investimentode um fotógrafo de esportes é totalmente diferente de uma pessoa que vaifotografar festa de 15 anos. Nesse último caso, 4 ou 5 meses de trabalho já sãosuficientes para cobrir o investimento inicial

 

– Quais características são indispensáveis aum fotógrafo?

R: Empreendedorismo, empatia, e amor pela arte.

 

– Quanto pode ser o salário inicial de um fotógrafo?– ESSA INFOÉ BEM IMPORTANTE!

R: Eu sempre evito essa palavra sálario, pois sem sua maioria ofotógrafo é um empresário individual. De qualquer forma, um iniciante, podeganhar R$700,00 por mês como assistente, R$600,00 em um festa de aniversário ouem um book de 15 anos, R$500,00 para fazer uma pauta de revista ou R$800,00reais para cobrir um evento empresarial.

Sua renda mensal vai depender do quanto trabalho você tem. Um fotógrafo demédio porte ganha de R$5.000,00 a R$10.000,00 por mês.

– Até quanto um fotógrafo poderia faturar emum mês?

R: Sua renda mensal vai depender do quanto trabalho você tem. Umfotógrafo de médio porte ganha de R$5.000,00 a R$10.000,00 por mês.

 

– É melhor ser freelancer ou trabalhar para uma empresa?

R: Sem dúvida é melhor ser freelancer. Cada cliente que você temlhe indica para outros clientes e você monta a estratégia de negócios baseado

unicamente no que você acredita e deseja.

 

– O que você sugeriria para uma fotógrafa deprimeira viagem?Compor um portifólio na internet pode ajudar a arrumar o primeiro emprego?

R: Minha recomendação é a seguinte; defina primeiro o que vocêgosta de fotografar(casamento, produtos, pet, etc), depois defina o seupúblico(classe a, b, c, uma região, etc), depois comece a fotografar seusamigos para ter uma boa base prática, nesse momento invista também em workshopse livros de fotografia, depois disso fotografe “gratuitamente” atéconseguir produzir um portfolio. Digo gratuitamente, pois nesse começo será umatroca. Para o fotógrafo iniciante que ainda não tem material esse processo éimportante. Sem contar que mesmo trabalhos assim acabam te levando paratrabalhos pagos. Entretanto, desde do início já comece a pensar no valor do seuproduto/serviço.

 

 

– O que essa leitora precisa ter de equipamento para começar afotografar? O que não pode faltar na bagagem de um profissional?

R: Como falei, cada área é muito específica e não há fórmulacorreta. De qualquer forma, eu sou bem simplista com meus equipamentos. TantoCanon quanto Nikon são excelentes câmeras. Como eu trabalho com Canon eu acaborecomendando ela sugiro o seguinte equipamento para quem está começando: CâmerasDSLR Canon T3 + Lente 18-55mm + Lente 50mm 1.8 + Flash Canon 430EXII. Com essekit você pode fazer uma pauta de revista, um aniversário, um book de 15 anos,entre outras coisas. No mercado paralelo(chineses que vendem em galerias daavenida Paulista) esse kit custa uns R$2.000.00

 

– Em média, qual é o mínimo que um fotógrafo pode cobrar porfotografia?

R: Não existe valor mínimo nem máximo. Cobre por aquilo quehonestamente pague pelo seu trabalho e dedicação.

 

Sobre meus workshops, eles acontecem uma vez por mês em grupo e também individualmente(nesse caso o mês inteiro). Aqui temos workhsops de fotografia básica, iluminação e tratamento de imagem. 

Custam em torno de R$400,00 e esse são os programas: https://dofotografo.wordpress.com/iluminacao/ e https://dofotografo.wordpress.com/tratamentodeimagem/

É isso aí, qualquer dúvida é só falar.

 

Grande abraço e obrigado,

 
Leandro Neves

+55 11 45627871
+55 11 949275197
leandro@leandroneves.com

Além disso, cobrar R$1.000,00 em um book não signifca que entra R$1.000,00 de lucro se você precisa pagar maquiador, alimentação, locomoção e impressão. É preciso entender que a grana que entra não significa exatamente “sálario”. 

O triste dessa reportagem é que, além do desrespeito com os fotógrafos, vai ter um monte de mulher de classe C e D investindo todas as suas economias e equipamento fotográfico acreditando que isso vai mudar sua vida em 1 dia!

Sobre a minha história,

Quem é leitor do blog sabe que eu abandonei a bolsa de 100% do Prouni no Mackenzie e um emprego em um multinacional de tecnologia para poder me dedicar à carreira de fotógrafo.

  • De janeiro de 2009 até junho de 2010 eu só estudei e me preparei para pegar os trabalhos pequenos.
  • De junho de 2010 até julho de 2011 eu comecei a pegar os trabalhos pequenos enquanto ia me preparando para pegar os médios.
  • De julho de 2011 até julho de 2012 eu comecei a pegar os trabalhos médios enquanto me preparava para os grandes.

Entretanto, em janeiro de 2012 vendi todos os meus equipamentos e móveis, saí do meu apartamento, doei minhas roupas, comprei um mochilão e me mudei para a Europa para ter mais experiência de vida e profissional para que eu pudesse estar preparado para os grandes trabalhos.

Foram centenas de dias de dedicação full time. Só quem é fotógrafo sabe de todas as trilhas que percorremos, de todas coisas que deixamos para trás e de todas as lágrimas e suor que derramamos para fazer o nosso trabalho ser cada vez melhor. Por isso, dizer que é possível virar fotógrafo em um dia é mais do que uma afronta é quase jogar por terra todo o esforço de uma vida!

Para quem ficou indignado com isso e quiser reclamar, o e-mail da editora chefe é: lygia.rebello@abril.com.br

Manoela Marandino e Revista VIP

_MG_5383

Eu leio a Revista VIP desde a capa da Sabrina Parlatore em 98 ou 99. Ter mais um trabalho publicado nessa revista é mais do que uma honra para mim.

Além do reconhecimento de uma das revistas mais importantes do país, ter total liberdade criativa para realizar um trabalho é a utopia que sempre idealizei e que agora vejo ser possível.

Quando recebi o convite para publicar mais esse ensaio eu já tinha essa locação rascunhada como minha favorita. Há algum tempo eu frequento essa praia “semi-deserta” no Rio de Janeiro. Já havia fotografado em Grumari e inclusive já perdi boa parte dos meus equipamentos lá por causa de uma ressaca do mar.

Ministrei um Workshop de Iluminação e Tratamento de Imagem no Rio de Janeiro e aproveitei para fotografar esse ensaio na segunda-feira seguinte. Como já conhecia o local e onde  o sol nascia, escolhi fotografar a Manoela bem no nascer do sol para aproveitarmos melhor a luz.

Já tive a oportunidade de fotografar a Manoela em Londres e no RJ. Ela é um modelo incrível e com o passar do tempo adquirimos uma relação de confiança ainda maior.

Manoela  - St. Pancras International Station

Manoela – St. Pancras International Station

Manoela - River Thames

Manoela – River Thames

Manoela - Southbank

Manoela – Southbank

O Daniel Ebendinger veio nos buscar às 03h30 da manhã e chegamos em Grumari ainda de noite. Para esse ensaio eu já tinha todas as referências separadas, pois não podia perder muito tempo já que o sol sobe muito depressa e, além da temperatura, a tonalidade varia bastante também. Além disso, eu queria uma luz mais natural e por isso optei somente por rebatedores e flashes para preenchimento. Utilizei um Canon 430EX II + uma Apollo Westcott

Pelo Making of é possível ver os equipamentos e ângulos utilizados:

Essas são as fotos do ensaio todo

_MG_5028

_MG_5585
_MG_5577
_MG_0398
_MG_5682
_MG_0463

_MG_0456

_MG_5383

_MG_8766

_MG_8792

E por fim a publicação na Revista VIP

VIP

VIP 02

Nossa Auaussitente agora  se valendo de modelo!

Nossa Auaussitente agora se valendo de modelo!

Fim de foto

Fim de foto

Modelo: Manoela Marandino (40 Graus)

Foto e Tratamento: Leandro Neves

Assistentes: Érika de Faria e Alessandro Neves

Vídeo: Daniel Ebendinger

Edição: Leandro Neves

Obrigado a todos que fizeram acontecer!  Principalmente Érika de Faria, que além de assistente, é esposa, conselheira, meu norte e a pessoa que suporta toda a barra de ficar 24 horas ao lado de um fotógrafo que vive e respira tudo isso!


“Não importa de onde você vem, nem onde você está, o importante é saber onde se quer chegar”

Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 1.408 outros seguidores

  • 1,105,398 Visitas